sexta-feira, 7 de maio de 2010

Terra de Ninguém

Uma menina do sorriso perolado perguntou ao menino de olhar oco
"Aonde você mora, amigo?"
O pequeno necessitado contemplou-a para desferir palavras, em tom rouco
"À soleira da sua porta..."

A situação é extrema. Não há leis que se apliquem à semi-vida dessas pessoas. De quem estou falando? Dos moradores de rua! Das pessoas que dormem sobre um papelão na porta do seu condomínio ou casa, ou daquele senhor bêbado e barbudo cujas palavras não possuem nexo, cujas palavras são proliferadas ao nada...

Coloquei-me metaforicamente no lugar dessas pobres pessoas necessitadas, e conclui... Eu sou como uma dessas pessoas! Sou um nômade como eles, pois nunca terei moradia fixa durante toda a minha vida. A minha rua é esse mundo, no qual não consigo me situar. A minha casa é aquele lugar seguro, para onde todos vão e de onde todos vêm. Eu vivo em lugar nenhum, mas gostaria de viver nas nuvens, a terra de ninguém! Eu levaria comigo todas as pessoas desorientadas para o reino onde não há posses, apenas a paz dormente ao lado. Vocês me fariam companhia na terra de ninguém?

16 comentários:

  1. concordo com o que tu dizes, temos que fazer e continuar fazendo, pois por mais caótico que pareça ainda existem soluções

    ResponderExcluir
  2. Gostei da sua critica indireta. As vezes quando passo no centro da minha cidade vejo vários moradores de rua dormindo nos bancos da praça da cidade, eu fico me sentindo ipotente sem poder fazer nada. Bela a comparação que vc fez. Beijos

    ResponderExcluir
  3. Na verdade existem os direitos humanos. Mas estes, tristemente, ficam no papel. Eles só são aplicados quando somos solidários. Nós nos fechamos no nosso mundinho medíocre e esquecemos o próximo. E quem vai lutar pelos direitos deles? E quem vai mudar está realidade? Se todos colaborassem seria muito bom, boa parte dos problemas sociais estaria resolvida. Mas enquanto isso não acontece fazemos nós a nossa parte e mais além, devemos defender os direitos de cada um, independente da condição financeira, da cor, da raça.
    Gostei do blog, você tem censo crítico que, infelizmente, é raro. Além disso, pelo visto você não se conforma. Isto é um bom começo! E te acompanho sim nesta terra de ninguém!
    Bj!
    Estou seguindo!
    =D

    Estou seguindo!
    =D

    ResponderExcluir
  4. Agradeço a todos os comentários, continuem comentando! Acompanho todos vocês.

    Adorei seu comentário, Alice, e agradeço!

    ResponderExcluir
  5. Perdão por escrever isso por aqui, peço que apague ao ler. Mas procurei outro meio e não achei, então queria saber se você tem perfil em alguma rede social (Orkut, facebook), queria te adicionar :)
    Obrigado.

    ResponderExcluir
  6. uau :D
    adorei *-*
    estou te seguindo :*

    ResponderExcluir
  7. Gostei da maneira que tu escreve, muito agradavel de se ler :) mas certamente esse é um tema que rende muitas e muitas reflexões... é uma realidade complicada

    ResponderExcluir
  8. Gostei daqui. Parabéns pelo blog.

    Beeejo pra vc, boa semana. :)

    ResponderExcluir
  9. texto muito lindo, tocante!
    AMMR DESCULPA TEM COMO VC DIVULGAR MEU BLOG NO SEU BLOG? *-*

    ResponderExcluir
  10. texto muito lindo e tocante!
    ammmmr, tem como você divulgar meu blog no seeu blog?*-* bgs

    ResponderExcluir
  11. Retribuindo a visita...=) Vlw pelo comentário...

    Putz...É bem tocante e marcante esse texto... Fez com que eu refletisse um pouco,sou meio dura com essa situação...Sempre penso no pior para que eles estjam nas ruas, mas me esqueço que eles podem não ter uma mãe e um pai como os meus, ou às vezes têm,e que por esse motivo estão ali, para não causar preocupações e medos e angústias, porque apesar de tudo, um dia, perante a todas as dificuldades encontradas, muitas dessas pessoas pensam: "Ainda bem que ele não estava aqui"...Isso é uma situação bem extrema de pensamento... Mas pode acontecer...E aí é tenso...É triste... Principalmente num país onde se gaasta milhões com o carnaval...

    ResponderExcluir
  12. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  13. Vez ou outra venho visitar seu blog, aprecio a sensibilidade de seus textos e, não sei o motivo, mas o seu blog me atrai também visualmente. Talvez pelas folhas de bordo, muito usadas para representar o outono, ponto em comum com o layout de meu blog. Enfim, estarei te seguindo, continue assim. Caso tenha tempo, sinta-se à vontade para visitar meu blog, http://rainy-horizon.blogspot.com/ , nele posto uma história de amor envolvendo dois adolescentes, além de textos reflexivos casualmente. Um abraço!

    ResponderExcluir
  14. nossa seu texto ta otimo mesmo
    eu adorei


    beijos flor

    ResponderExcluir
  15. A realidade em que vivemos dói nos olhos,talvez seja por isso que as pessoas parecem não enchergar esse tipo de coisa.
    Fugir seria a melhor soluçao mesmo..ou não?quem sabe..

    Estamos sempre em busca da Terra do Nunca..

    ResponderExcluir